segunda-feira, 31 de outubro de 2011

POVOS PRÉ COLOMBIANOS


Civilização Maia

O povo maia habitou a região das florestas tropicais das atuais Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (região sul do atual México). Viveram nestas regiões entre os séculos IV a.C e IX a.C. Entre os séculos IX e X , os toltecas invadiram essas regiões e dominaram a civilização maia.

Nunca chegaram a formar um império unificado, fato que favoreceu a invasão e domínio de outros povos. As cidades formavam o núcleo político e religioso da civilização e eram governadas por um estado teocrático.O império maia era considerado um representante dos deuses na Terra.

A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos.

A base da economia maia era a agricultura, principalmente de milho, feijão e tubérculos. Suas técnicas de irrigação eram muito avançadas. Praticavam o comércio de mercadorias com povos vizinhos e no interior do império.

Ergueram pirâmides, templos e palácios, demonstrando um grande avanço na arquitetura. O artesanato também se destacou: fiação de tecidos, uso de tintas em tecidos e roupas.

A religião deste povo era politeísta, pois acreditavam em vários deuses ligados à natureza. Elaboraram um eficiente e complexo calendário que estabelecia com exatidão os 365 dias do ano.

Assim como os egípcios, usaram uma escrita baseada em símbolos e desenhos (hieróglifos). Registravam acontecimentos, datas, contagem de impostos e colheitas, guerras e outros dados importantes.

Desenvolveram muito a matemática, com destaque para a invenção das casas decimais e o valor zero.



Civilização Asteca

Povo guerreiro, os astecas habitaram a região do atual México entre os séculos XIV e XVI. Fundaram no século XIV a importante cidade de Tenochtitlán (atual Cidade do México), numa região de pântanos, próxima do lago Texcoco.

A sociedade era hierarquizada e comandada por um imperador, chefe do exército. A nobreza era também formada por sacerdotes e chefes militares. Os camponeses, artesãos e trabalhadores urbanos compunham grande parte da população. Esta camada mais baixa da sociedade era obrigada a exercer um trabalho compulsório para o imperador, quando este os convocava para trabalhos em obras públicas (canais de irrigação, estradas, templos, pirâmides).

Durante o governo do imperador Montezuma II (início do século XVI), o império asteca chegou a ser formado por aproximadamente 500 cidades, que pagavam altos impostos para o imperador. O império começou a ser destruído em 1519 com as invasões espanholas. Os espanhóis dominaram os astecas e tomaram grande parte dos objetos de ouro desta civilização. Não satisfeitos, ainda escravizaram os astecas, forçando-os a trabalharem nas minas de ouro e prata da região.

 Os astecas desenvolveram muito as técnicas agrícolas, construindo obras de drenagem e as chinampas (ilhas de cultivo), onde plantavam e colhiam milho, pimenta, tomate, cacau etc. As sementes de cacau, por exemplo, eram usadas como moedas por este povo.

O artesanato a era riquíssimo, destacando-se a confecção de tecidos, objetos de ouro e prata e artigos com pinturas.

A religião era politeísta, pois cultuavam diversos deuses da natureza (deus Sol, Lua, Trovão, Chuva) e uma deusa representada por uma Serpente Emplumada. A escrita era representada por desenhos e símbolos. O calendário maia foi utilizado com modificações pelos astecas. Desenvolveram diversos conceitos matemáticos e de astronomia.

Na arquitetura, construíram enormes pirâmides utilizadas para cultos religiosos e sacrifícios humanos. Estes, eram realizados em datas específicas em homenagem aos deuses. Acreditavam, que com os sacrifícios, poderiam deixar os deuses mais calmos e felizes.

Civilização Inca


Os incas viveram na região da Cordilheira dos Andes (América do Sul ) nos atuais Peru, Bolívia, Chile e Equador. Fundaram no século XIII a capital do império: a cidade sagrada de Cusco. Foram dominados pelos espanhóis em 1532.

O imperador, conhecido por Sapa Inca era considerado um deus na Terra. A sociedade era hierarquizada e formada por: nobres (governantes, chefes militares, juízes e sacerdotes), camada média ( funcionários públicos e trabalhadores especializados) e classe mais baixa (artesãos e os camponeses). Esta última camada pagava altos tributos ao rei em mercadorias ou com trabalhos em obras públicas.

Na arquitetura, desenvolveram várias construções com enormes blocos de pedras encaixadas, como templos, casas e palácios. A cidade de Machu Picchu foi descoberta somente em 1911 e revelou toda a eficiente estrutura urbana desta sociedade. A agricultura era extremamente desenvolvida, pois plantavam nos chamados terraços (degraus formados nas costas das montanhas). Plantavam e colhiam feijão, milho (alimento sagrado) e batata. Construíram canais de irrigação, desviando o curso dos rios para as aldeias. A arte destacou-se pela qualidade dos objetos de ouro, prata, tecidos e jóias.

Domesticaram a lhama (animal da família do camelo) e utilizaram como meio de transporte, além de retirar a lã , carne e leite deste animal. Além da lhama, alpacas e vicunhas também eram criadas.

A religião tinha como principal deus o Sol (deus Inti). Porém, cultuavam também animais considerados sagrados como o condor e o jaguar. Acreditavam num criador antepassado chamado Viracocha (criador de tudo).

Criaram um interessante e eficiente sistema de contagem : o quipo. Este era um instrumento feito de cordões coloridos, onde cada cor representava a contagem de algo. Com o quipo, registravam e somavam as colheitas, habitantes e impostos. Mesmo com todo desenvolvimento, este povo não desenvolveu um sistema de escrita.



domingo, 30 de outubro de 2011

GLOBALIZAÇÃO

                Globalização: contatos comerciais, culturais, financeiros e tecnológicos em nível global
O que é Globalização - Definição
Podemos dizer que é um processo econômico e social que estabelece uma integração entre os países e as pessoas do mundo todo. Através deste processo, as pessoas, os governos e as empresas trocam idéias, realizam transações financeiras e comerciais e espalham aspectos culturais pelos quatro cantos do planeta.

O conceito de Aldeia Global se encaixa neste contexto, pois está relacionado com a criação de uma rede de conexões, que deixam as distâncias cada vez mais curtas, facilitando as relações culturais e econômicas de forma rápida e eficiente.

Origens da Globalização e suas Características
Muitos historiadores afirmam que este processo teve início nos séculos XV e XVI com as Grandes Navegações e Descobertas Marítimas. Neste contexto histórico, o homem europeu entrou em contato com povos de outros continentes, estabelecendo relações comerciais e culturais. Porém, a globalização efetivou-se no final do século XX, logo após a queda do socialismo no leste europeu e na União Soviética. O neoliberalismo, que ganhou força na década de 1970, impulsionou o processo de globalização econômica.

Com os mercados internos saturados, muitas empresas multinacionais buscaram conquistar novos mercados consumidores, principalmente dos países recém saídos do socialismo. A concorrência fez com que as empresas utilizassem cada vez mais recursos tecnológicos para baratear os preços e também para estabelecerem contatos comerciais e financeiros de forma rápida e eficiente. Neste contexto, entra a utilização da Internet, das redes de computadores, dos meios de comunicação via satélite etc.

Uma outra característica importante da globalização é a busca pelo barateamento do processo produtivo pelas indústrias. Muitas delas, produzem suas mercadorias em vários países com o objetivo de reduzir os custos. Optam por países onde a mão-de-obra, a matéria-prima e a energia são mais baratas. Um tênis, por exemplo, pode ser projetado nos Estados Unidos, produzido na China, com matéria-prima do Brasil, e comercializado em diversos países do mundo.

Bolsa de valores: tecnologia e negociações em nível mundial.
Para facilitar as relações econômicas, as instituições financeiras (bancos, casas de câmbio, financeiras) criaram um sistema rápido e eficiente para favorecer a transferência de capital e comercialização de ações em nível mundial..

Investimentos, pagamentos e transferências bancárias, podem ser feitos em questões de segundos através da Internet ou de telefone celular.

Os tigres asiáticos (Hong Kong, Taiwan, Cingapura e Coréia do Sul) são países que souberam usufruir dos benefícios da globalização. Investiram muito em tecnologia e educação nas décadas de 1980 e 1990. Como resultado, conseguiram baratear custos de produção e agregar tecnologias aos produtos. Atualmente, são grandes exportadores e apresentam ótimos índices de desenvolvimento econômico e social.

Blocos Econômicos e Globalização
Dentro deste processo econômico, muitos países se juntaram e formaram blocos econômicos, cujo objetivo principal é aumentar as relações comerciais entre os membros. Neste contexto, surgiram a União Européia, o Mercosul, a Comecom, o NAFTA, o Pacto Andino e a Apec. Estes blocos se fortalecem cada vez mais e já se relacionam entre si. Desta forma, cada país, ao fazer parte de um bloco econômico, consegue mais força nas relações comerciais internacionais.


Internet, Aldeia Global e a Língua Inglesa
Como dissemos, a globalização extrapola as relações comerciais e financeiras. As pessoas estão cada vez mais descobrindo na Internet uma maneira rápida e eficiente de entrar em contato com pessoas de outros países ou, até mesmo, de conhecer aspectos culturais e sociais de várias partes do planeta. Junto com a televisão, a rede mundial de computadores quebra barreiras e vai, cada vez mais, ligando as pessoas e espalhando as idéias, formando assim uma grande Aldeia Global. Saber ler, falar e entender a língua inglesa torna-se fundamental dentro deste contexto, pois é o idioma universal e o instrumento pelo qual as pessoas podem se comunicar.




quinta-feira, 27 de outubro de 2011

MODOS DE PRODUÇÃO

Introdução
Quando vamos a um supermercado e compramos gêneros alimentícios, bebidas, calçados, material de limpeza, etc., estamos adquirindo bens. Da mesma forma, quando pagamos a passagem do ônibus ou uma consulta medica, estamos pagando um serviço.
Ao viverem em sociedade, as pessoas participam diretamente da produção, da distribuição e do consumo de bens e serviços, ou seja, participam da vida econômica da sociedade. Assim, o conjunto de indivíduos que participam da vida econômica de uma nação é o conjunto de indivíduos que participam da produção, distribuição e consumo de bens e serviços. Ex: operários quando trabalham estão ajudando a produzir, quando, com o salário que recebem, compram algo, estão participando da distribuição, pois estão comprando bens e consumo. E quando consomem os bens e os serviços que adquiriram, estão participando da atividade econômica de consumo de bens e serviços.

Modos de Produção

O modo de produção é a maneira pela qual a sociedade produz seus bens e serviços, como os utiliza e os distribui. O modo de produção de uma sociedade é formado por suas forças produtivas e pelas relações de produção existentes nessa sociedade.
Modo de produção = forças produtivas + relações de produção
Portanto, o conceito de modo de produção resume claramente o fato de as relações de produção serem o centro organizador de todos os aspectos da sociedade.

Modo de produção primitivo:

O modo de produção primitivo designa uma formação econômica e social que abrange um período muito longo, desde o aparecimento da sociedade humana. A comunidade primitiva existiu durante centenas de milhares de anos, enquanto o período compreendido pelo escravismo, pelo feudalismo e pelo capitalismo mal ultrapassa cinco milênios.
Na comunidade primitiva os homens trabalhavam em conjunto. Os meios de produção e os frutos do trabalho eram propriedade coletiva, ou seja, de todos. Não existia ainda a idéia da propriedade privada dos meios de produção, nem havia a oposição proprietários x não proprietários.
As relações de produção eram relações de amizade e ajuda entre todos; elas eram baseadas na propriedade coletiva dos meios de produção, a terra em primeiro lugar.
Também não existia o estado. Este só passou a existir quando alguns homens começaram a dominar outros. O estado surgiu como instrumento de organização social e de dominação.

Modo de produção escravista:

Modo de produção escravista
Moenda
Na sociedade escravista os meios de produção (terras e instrumentos de produção) e os escravos eram propriedade do senhor. O escravo era considerado um instrumento, um objeto, assim como um animal ou uma ferramenta.
Assim, no modo de produção escravista, as relações de produção eram relações de domínio e de sujeição: senhores x escravos. Um pequeno número de senhores explorava a massa de escravos, que não tinham nenhum direito.
Os senhores eram proprietários da força de trabalho (os escravos), dos meios de produção (terras, gado, minas, instrumentos de produção) e do produto de trabalho.


Modo de produção asiático:

Modo de produção asiático
Escravos no Egito Antigo
O modo de produção asiático predominou no Egito, na China, na Índia e também na África do século passado.
Tomando como exemplo o Egito, no tempo dos faraós, vamos notar que a parte produtiva da sociedade era composta pelos escravos, que era forçados, e pelos camponeses, que também eram forçados a entregar ao Estado o que produziam. A parcela maior prejudicando cada vez mais o meio de produção asiático.
Fatores que determinaram o fim do modo de produção asiático:
• A propriedade de terra pelos nobres;
• O alto custo de manutenção dos setores improdutivos;
• A rebelião dos escravos.

Modo de produção feudal:

Modo de produção feudal
A sociedade feudal era constituída pelos senhores x servos. Os servos não eram escravos de seus senhores, pois não eram propriedade deles. Eles apenas os serviam em troca de casa e comida. Trabalhavam um pouco para o seu senhor e outro pouco para eles mesmos.
Num determinado momento, as relações feudais começaram a dificultar o desenvolvimento das forças produtivas. Como a exploração sobre os servos no campo aumentava, o rendimento da agricultura era cada vez mais baixo. Na cidade, o crescimento da produtividade dos artesãos era freado pelos regulamentos existentes e o próprio crescimento das cidades era impedido pela ordem feudal.Já começava a aparecer às relações capitalistas de produção.

Modo de produção capitalista:

Modo de produção capitalista
O que caracteriza o modo de produção capitalista são as relações assalariadas de produção (trabalho assalariado). As relações de produção capitalistas baseiam-se na propriedade privada dos meios de produção pela burguesia, que substituiu a propriedade feudal, e no trabalho assalariado, que substituiu o trabalho servil do feudalismo. O capitalismo é movido por lucros, portanto temos duas classes sociais: a burguesia e os trabalhadores assalariados.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

ÁFRICA - GALERINHA DO 9º ANO

Na África, pobre está cada vez mais pobre
Entre 1990 e 2001, a renda da população miserável caiu de 62 para 60 centavos de dólar; número de pessoas na pobreza aumentou

A proporção de pobres na região mais pobre do planeta, a África, aumentou na última década, deixando o continente ainda mais distante de cumprir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio — uma série de metas socioeconômicas que os países da ONU se comprometeram a atingir até 2015, abrangendo áreas como renda, saúde e educação. Um estudo divulgado pela ONU, intitulado Relatório 2005 dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, aponta que na África Subsaariana (região que exclui o norte do continente) 46,4% da população vivia em 2001 com menos de um dólar por dia. Em 1990, eram 44,6%.

Se não bastasse o aumento, essa parcela de miseráveis ficou ainda mais pobre. No período, a renda média diária caiu de 62 centavos para 60 centavos de dólar. Em 2001, a África Subsaariana atingiu uma população de 313 milhões de miseráveis, o que representa um acréscimo de 86 milhões de pessoas em relação a 1990.

De acordo com o relatório, lançado na quinta-feira, o agravamento da pobreza na região africana está ligado a três principais fatores: “cresce o número de pessoas que não conseguem ter oportunidades de emprego, a agricultura está estagnada e a Aids atinge brutalmente as pessoas em seus anos mais produtivos".

Em relação às outras regiões pesquisadas no relatório, a África Subsaariana é a que tem maior porcentagem de pobres em sua população (46,4%). Em seguida, bem mais abaixo, aparece o Sudeste Asiático (29,9%), seguido pelo leste da Ásia (16,6%). No total, aproximadamente um bilhão de pessoas, ou uma em cada seis, vivem abaixo da linha de pobreza no mundo, o que representa um grande desafio no cumprimento dos Objetivos do Milênio, estabelecidos em 2000.

"Em vários sentidos, este ano o desafio será muito maior do que no ano 2000. Em vez de apenas estabelecer objetivos, agora os líderes mundiais precisam definir um plano de ação para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio", comentou o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, em referência à Cúpula de Setembro, que reunirá este ano os líderes mundiais para fazer um balanço parcial sobre o desempenho do mundo nos Objetivos.

América Latina

O relatório da ONU analisou oito regiões. A pobreza teve redução em quatro delas, três na Ásia e a América Latina e o Caribe. Em 1990, a região da América Latina e do Caribe tinha 11,3% de sua população vivendo com menos de um dólar por dia. Onze anos depois, a parcela recuou para 9,5% — uma queda de 15,9%. No mesmo período, a redução no Sudeste Asiático foi maior, de 24,1%, assim como no leste asiático (49,6%) e sul da Ásia e Oceania (47,95%).

A pobreza aumento não só na África Subsaariana, mas também nas ex-repúblicas soviéticas e no Leste Europeu.



RESULTADO DAS AVALIAÇÕES DO 3º BIMESTRE - 6º ANO "B"

NÚMERO         NOTA BIMESTRAL
01                                8,0
02                                7,0
03                                8,5
04                                9,0
05                                9,0
06                                8,0
07                                8,0
08                                7,5
09                                8,0
10                                9,5
11                                9,0
12                                7,0
13                                7,5
14                                 T3
15                                6,5
16                                9,5
17                                8,5
18                                8,0
19                                8,0
20                              10,0
21                                8,0
22                                9,5
23                                9,5
24                                4,0
25                                7,5
26                                9,0
27                                8,5
28                                7,5
29                                6,5
30                              10,0
31                              10,0
32                                7,0
33                                8,0
34                              10,0
35                                6,5
36                                9,0

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

RESULTADO DAS AVALIÇÕES DO 3º BMESTRE - 9º ANO "A"

NÚMERO                       NOTA BIMESTRAL
01                                                 9,0
02                                               10,0
03                                               10,0
04                                               10,0
05                                                 9,0
06                                                 9,0
07                                                 9,0
08                                                 9,0
09                                                 9,0
10                                               10,0
11                                                 9,0
12                                                 9,0
13                                                 9,0
14                                               10,0
15                                               10,0
16                                                 7,0
17                                                 8,0
18                                                 8,0
19                                                 9,0
20                                                 8,0
21                                                 9,0
22                                                 9,0
23                                               10,0
24                                                 9,0
25                                                 9,0
26                                                 3,0
27                                                 7,0
28                                                 9,0
29                                                 9,0
30                                                 8,0
31                                                 8,0
32                                                 7,0
33                                                    ?
34                                                 9,0
35                                                 9,0
36                                                 8,0
37                                                 8,0
38                                                 8,0

RESULTADO DAS AVALIAÇÕES DO 3º BIMESTRE - 8º ANO

NÚMERO                NOTA BIMESTRAL
01                                    9,0
02                                    5,0
03                                    8,0
04                                    6,0
05                                    3,0
06                          FALTOU
07                                  10,0
08                                    5,5
09                                    7,5
10                                    9,0
11                                    8,0
12                                    9,0
13                                    8,0
14                                    8,0
15                                    6,0
16                                    9,0
17                                    8,0
18                                    9,5
19                                    6,0
20                                    6,5
21                                       ?
22                                    8,0
23                                    7,0
24                                    9,0
25                                    3,0
26                                    8,0
27                                    6,0
28                                    8,0
29                                    7,0
30                                    6,0
31                                    6,5
32                                  10,0
33                                    7,5
34                                    5,0
35                                    8,0
36                                    8,0
37                                       ?
38                                    4,5
39                                    8,0
40                                    2,5

terça-feira, 18 de outubro de 2011

RESULTADO DA AVALIAÇÃO DO 3º BIMESTRE - 6º AN0 "A"

NÚMERO                   NOTA BIMESTRAL
01-------------------------------------8,5
02-------------------------------------8,0
03-------------------------------------9,0
04------------------------------------10,0
05------------------------------------8,5
06------------------------------------
07-----------------------------------10,0
08------------------------------------8,5
09------------------------------------8,5
10-----------------------------------10,0
11------------------------------------7,5
12-----------------------------------10,0
13-----------------------------------10,0
14-----------------------------------10,0
15-------------------------------------8,5
16-----------------------------------10,0
17-----------------------------------10,0
18-------------------------------------8,5
19-------------------------------------8,5
20-------------------------------------9,5
21-------------------------------------8,0
22------------------------------------10,0
23------------------------------------10,0
24-------------------------------------9,0
25-------------------------------------8,5
26-------------------------------------9,5
27-----------------------------------10,0
28-------------------------------------9,0
29-------------------------------------
30-----------------------------------10,0
31-----------------------------------
32------------------------------------8,0
33------------------------------------8,0
34------------------------------------8,0
35------------------------------------9,0
36------------------------------------9,0
37------------------------------------
38--------------------------------- -10,0

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

RESULTADO DAS AVALIAÇÕES 3º BIMESTRE - 7º ANO "B"

NÚMERO               NOTA BIMESTRAL
01------------------------------ FALTOU
02------------------------------8,5
03------------------------------10,0
04------------------------------10,0
05------------------------------FALTOU
07------------------------------8,5
08------------------------------4,5
09------------------------------9,0
10------------------------------FALTOU
11------------------------------7,5
12------------------------------7,5
13------------------------------10,0
15------------------------------9,0
16------------------------------9,0
17------------------------------8,0
18------------------------------4,0
19------------------------------4,5
20-------------------------------7,5
21-------------------------------9,0
22-------------------------------8,5
23-------------------------------8,5
24-------------------------------5,0
25-------------------------------FALTOU
26-------------------------------8,5
27-------------------------------7,0
28-------------------------------7,0
29-------------------------------8,0
30-------------------------------3,5
31-------------------------------3,0
32-------------------------------7,5
33-------------------------------9,0
34-------------------------------5,0
35-------------------------------FALTOU
37-------------------------------4,0
38-------------------------------FALTOU
39-------------------------------8,5
40-------------------------------8,5
41-------------------------------FALTOU

RESULTADO DAS AVALIAÇÕES - 7 ANO "A"

NÚMERO                NOTA BIMESTRAL
01-----------------------------------------8,5
02-----------------------------------------9,0
04-----------------------------------------8,0
05-----------------------------------------9,0
06-----------------------------------------7,0
07-----------------------------------------9,0
08-----------------------------------------9,0
09----------------------------------------10,0
10----------------------------------------10,0
11----------------------------------------8,5
12----------------------------------------8,0
13----------------------------------------9,0
14----------------------------------------8,0
15----------------------------------------9,0
16----------------------------------------9,0
18----------------------------------------9,0
19----------------------------------------8,0
20----------------------------------------9,0
21----------------------------------------9,0
22----------------------------------------9,0
23----------------------------------------9,0
24----------------------------------------9,0
25----------------------------------------9,0
26----------------------------------------8,0
27----------------------------------------9,0
28----------------------------------------9,0
29----------------------------------------9,0
30----------------------------------------8,0
31----------------------------------------8,0
32----------------------------------------8,0
33----------------------------------------8,0
34----------------------------------------9,0
35----------------------------------------10,0
36----------------------------------------9,0
37----------------------------------------8,0
38----------------------------------------8,5
39----------------------------------------9,0
40----------------------------------------8,5
41----------------------------------------9,0

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

ATIVIDADES DE REVISÃO (8º ANO A)

1. Durante o Período Regencial:

a) A monarquia imperial foi extinta, instaurando-se em seu lugar uma república Federalista.
b) Os regentes governaram de forma absoluta, fazendo uso indiscriminado do Poder Moderador.
c) As facções federalistas criaram a Guarda Nacional, um eficiente instrumento militar de oposição ao Exército regular da Regência.
d) Nenhum regente fez uso do Poder Moderador, o que, de certa maneira, permitiu a prática do Parlamentarismo.

2. " ... desligado o povo rio-grandense da comunhão brasileira, reassume todos os direitos da primitiva liberdade; usa destes direitos imprescritíveis constituindo-se República Independente; toma na extensa escala dos Estados Soberanos o lugar que lhe compete ..."

Na evolução histórica brasileira, pode-se associar as idéias do texto à:

a) Sabinada
b) Balaiada
c) Farroupilha
d) Guerra dos Emboabas

3. "Em 1835, o temor da "haitianização" que já era comum entre muitos políticos do Primeiro Reinado, cresceu ainda mais depois da veiculação da estarrecedora notícia: milhares de escravos se amotinaram a ameaçavam tomar a capital da província."

O texto acima trata da:

a) Balaiada ocorrida no Maranhão;
b) Revolta dos Quebra-Quilos, verificada em Alagoas;
c) Abrilada, detonada no Rio de Janeiro;
d) Revolta dos Malês, ocorrida na Bahia;

4. Marque a alternativa que completa corretamente o texto seguinte:

"As causas da ___________ eram anunciadas por Bento Gonçalves no manifesto de 29 de agosto  de 1838, denunciando as altas tarifas sobre os produtos regionais: ouro, sebo, charque e graxa, política esta responsável pela separação da província de São Pedro do Rio Grande do Sul da Comunidade Brasileira."

a) Cabanagem
b) Balaiada
c) Farroupilha
d) Sabinada

5. Durante as primeiras décadas do Império, a Bahia passou grande agitação política e social. Ocorreram várias revoltas contra a permanência de portugueses que haviam lutado contra os baianos na Guerra da Independência. Entre as revoltas a que o texto se refere pode-se destacar, a:

a) Sabinada
b) Praieira
c) Balaiada
d) Cabanagem

6. A Sabinada que agitou a Bahia entre novembro de 1837 e março de 1838:

a) tinha objetivos separatistas, no que diferia frontalmente das outras rebeliões do período;
b) foi uma rebelião contra o poder instituído no Rio de Janeiro que contou com a participação popular;
c) assemelhou-se à Guerra dos Farrapos, tanto pela posição anti-escravista quanto pela violência e duração da luta;
d) aproximou-se, em suas proposições políticas, das demais rebeliões do período pela defesa do regime monárquico;

7. O Golpe da Maioridade, datado de julho de 1840 e que elevou D. Pedro II a imperador do Brasil, foi justificado como sendo:

a) uma estratégia para manter a unidade nacional, abalada pelas sucessivas rebeliões provinciais;
b) o único caminho para que o país alcançasse novo patamar de desenvolvimento econômico e social;
c) a melhor saída para impedir que o Partido Liberal dominasse a política nacional;
d) a forma mais viável para o governo aceitar a proclamação da República e a abolição da escravidão;

8.  Na Guerra do Paraguai (1865 - 1870), o Brasil teve como aliados:

a) Bolívia e Peru
b) Uruguai e Argentina
c) Chile e Uruguai
d) Bolívia e Argentina

9. As estradas de ferro brasileiras, no Segundo Reinado, concentravam-se, sobretudo, nas regiões de produção:
a) do fumo
b) do milho
c) do cacau
d) do café

10. Assinale a alternativa que não contém uma característica referente ao período do Segundo Reinado (1845 - 1889):

a) fim do tráfico negreiro;
b) elaboração da primeira Constituição brasileira;
c) domínio do café no quadro das exportações brasileiras;
d) início da propaganda republicana;

O gabarito será entregue na próxima aula.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

CALENDÁRIO DAS AVALIAÇÕES DE HISTÓRIA - 3º BIMESTRE

                 DIA                                              ANO

17/10(SEGUNDA-FEIRA)                           7º A
17/10(SEGUNDA-FEIRA)                           7º B
18/10(TERÇA-FEIRA)                                 6º A
19/10(QUARTA-FEIRA)                              6º B
20/10(QUINTA-FEIRA)                               8º A
20/10(QUINTA-FEIRA)                               9º A

ESTUDEM BASTANTE, MEUS AMORES!!!!

A história do Dia das Crianças

O Dia das Crianças no Brasil foi criado por um político, na década de 1920. O Deputado Federal Galdino do Valle Filho teve a idéia de criar um dia em homenagem às crianças. Os deputados aprovaram a idéia e o dia 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, através do Decreto nº4.867, de 5 de novembro de 1924.


......Mas, somente em 1960, quando a Fábrica de Brinquedos Estrela decidiu fazer uma promoção em conjunto com a Johnson & Johnson, para aumentar suas vendas, lançando a "Semana do Bebê Robusto", é que a data passou a ser comemorada.

......A estratégia deu tão certo, que desde então o dia das Crianças passou a ser comemorado com muitos presentes!

......Logo depois, outras empresas decidiram criar a Semana da Criança para aumentar as vendas.

......No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e fizeram ressurgir o antigo decreto. Só a partir dai o dia 12 de outubro se tornou uma data importante para o setor de brinquedos.

Dia Universal da Criança


......Muitos países comemoram o dia das Crianças em 20 de novembro, data que a ONU (Organização das Nações Unidas) reconhece como dia Universal das Crianças por ser quando se comemora a aprovação da Declaração dos Direitos das Crianças.

Submarino nazista é achado em SC

Pesquisador encontra o submarino alemão U-513, o “Lobo Solitário”, naufragado em 1943 no litoral sul do Brasil
por Heloísa Broggiato


Durante uma regata entre Vila Velha, no Espírito Santo, e a ilha da Trindade, na costa brasileira, a bordo do veleiro Aysso, Vilfredo Schürmann ouviu falar do naufrágio de um submarino alemão no litoral de Santa Catarina. O capitão não sossegou enquanto não encontrou a embarcação no fundo do mar. Foram 18 mergulhos até identificar os restos do submarino alemão U-513, naufragado em 19 de julho de 1943.

O Lobo Solitário, como era conhecida a embarcação, era comandada por Friedrich Fritz Guggenberger, oficial condecorado com a Cruz de Ferro pelo próprio Adolf Hitler, por ter afundado um porta-aviões inglês, o Ark Royal.

A busca do U-513 foi realizada com o apoio do governo de Santa Catarina, e o local do naufrágio foi encontrado graças às anotações contidas no diário de bordo do navio americano Barnegad, que resgatou sete sobreviventes de um total de 53 tripulantes, conta Schürmann. O diário registrava também as coordenadas de um ponto próximo ao local onde o equipamento nazista afundou, fornecidas por um instrumento do hidroavião americano que abateu o submarino. “Com essas coordenadas o localizamos”, explica o capitão. O próximo passo de Schürmann é transformar a história em documentário.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Jovens sem carteira assinada engordam a estatística da exploração infantil no Brasil

Quase 90% dos jovens de 16 e 17 anos que estavam trabalhando como empregados ou trabalhadores domésticos em 2007 não tinham carteira de trabalho assinada, sendo que 46,6% deles cumpriram jornada de 40 horas semanais ou mais. Na comparação com 2006, o número de trabalhadores formais caiu de 21% para 12,6%, uma redução de 8,4 ponto percentual. Os dados fazem parte da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) divulgada nesta quinta-feira (18) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e engordam as estatísticas da exploração infantil no Brasil.

A legislação brasileira proíbe qualquer tipo de trabalho para menores de 14 anos. O trabalho a partir dos 14 anos é permitido apenas na condição de aprendiz, em atividade relacionada à qualificação profissional. E acima dos 16 anos o trabalho é autorizado desde que não seja no período da noite, em condição de perigo ou insalubridade e desde que não atrapalhe a jornada escolar. No entanto, se o jovem com mais de 16 anos não tiver carteira assinada ou estiver em situação precária, ele entra nos números de trabalho infantil e ilegal. Leia tambémTrabalho infantil cai pouco e ainda há 1,2 milhão de crianças exploradas.

Portanto, apesar do IBGE apresentar os dados relativos ao trabalho infantil dentro da faixa de 5 a 17 anos, é preciso considerá-los dentro das divisões por grupos de idade e situá-los nas determinações da legislação brasileira.

A PNAD aponta, por exemplo, uma queda na proporção de trabalhadores de 5 a 17 anos (de 11,5% para 10,8%) na comparação entre 2006 e 2007, o que é um indicador positivo da situação da exploração infantil no Brasil. Mas na faixa dos 16 a 17 anos não houve qualquer aumento no número de ocupados e isso demonstra que cerca de 65% dos jovens prontos para começar a carreira profissional não estão trabalhando.

O gerente do Programa Internacional para Erradicação do Trabalho Infantil da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Renato Mendes, ressalta que "se o adolescente tem idade para trabalhar e está apto para isso, é dever do Estado promover a inserção dele no mercado de trabalho de forma protegida". O que não vem acontecendo de forma eficaz. InfográficosVeja a evolução dos principais indicadores da Pnad nos últimos anos Os domicílios brasileiros, a infra-estrutura básica e os bens de consumo.

Além de forte presença de jovens de 14 a 17 anos no mercado informal, vale destacar que nesta faixa etária a diferença entre ocupados (74,9%) e não-ocupados (88,9%) que vão à escola é mais significativa que entre os mais novos e evidencia o reflexo negativo do trabalho abusivo na educação. Como sociedade pode se organizar para acabar com o trabalho infantil?Apesar da queda de 4,5% no número de trabalhadores infantis, ainda 1,2 milhão de crianças e adolescentes entre 5 e 13 anos são vítimas de exploração no Brasil, segundo o levantamendo do Pnad para o ano de 2007.

O jovem trabalhadorDos sete milhões de adolescentes brasileiros com idade para ser aprendiz, apenas 18% estava trabalhando, sendo cerca de 40% deles em atividades agrícolas e/ou sem remuneração. E 34,5% deles trabalhava de 15 a 24 horas na semana. A maioria era de jovens negros ou pardos (60,9%), do sexo masculino (67,7%) e que vinham de famílias que ganhavam em média cerca de R$ 275 per capita por mês.

Já entre os mais velhos, a predominância é de jovens morando em áreas urbanas (80,9%) e trabalhando em atividades não-agrícolas (72,9%). A proporção de trabalho não-remunerado cai para 21,3% na faixa de 16 e 17 anos e a renda familiar sobe para em média R$ 352 per capita por mês. A média de horas trabalhadas na semana passa de 40 horas ou mais. E os negros e pardos (55,4%) do sexo masculino (63,5%) ainda eram maioria, mas em uma proporção menor.

O trabalho infantil é algo que não deveria mais existir, ainda mais por já estarmos em pleno século 21, isso é uma vergonha ainda mais por causa de nossos políticos e autoridades, isso é algo inadmissível, só que nenhum desses políticos e autoridades faz nada para acabar com esse trabalho infantil que nunca deveria ter existido, porque lugar de criança é na escola e não trabalhando no lugar dos seus pais.

A exploração infantil é algo que é totalmente proibido no Brasil e no mundo inteiro, a criança tem direitos especiais, ela é protegida pelo estatuto da criança e do adolescente, por isso se você ver algum caso denuncie, mas denuncie mesmo para acabar com essa exploração do trabalho infantil que é proibida no mundo inteiro. As pessoas que denunciam estarão dando uma nova chance para muitas crianças, porque essas crianças poderão estudar para ser alguém na vida.

Muitas pessoas pegam crianças de ruas para trabalhar ganhando misérias em vez de estar dentro de uma escola, por isso se você ver algum caso de exploração infantil denuncie, você pode estar tirando a vida de uma criança que deve estar diariamente na escola e não trabalhando na sua casa.

Essa exploração do trabalho infantil precisa acabar logo nos países mais pobres que devem elaborar leis mais rigorosas, porque com algumas leis fracas não conseguirão acabar com essa exploração que nunca deveria ter existido, pois ninguém deveria trabalhar até terminar seus estudos no ensino médio. Trabalhar é um dever dos adultos que precisam dar muita educação para seus filhos que também irão trabalhar quando adultos, mas quando forem crianças só devem brincar e estudar muito numa escola publica que da uma educação qualificada.

As crianças que estão sendo exploradas com trabalho infantil devem saber dos seus direitos e deveres que estão no estatuto da criança e do adolescente, só dessa forma poderão parar de trabalhar para estudar e ser alguém na vida, mas essas crianças também precisam da ajuda dos políticos e autoridades que não podem esquecer dessas crianças espalhadas pelo país inteiro. Já que essas crianças serão o futuro amanhã do país!











quinta-feira, 6 de outubro de 2011

PROJETO DE APRENDIZAGEM COM O UCA

ESCOLA ESTADUAL SANTO IZIDORO
TEMA: PARTICIPAÇÃO DO ACRE NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
PROFESSORA: SILVELENA DE LIMA MAIA
DISCIPLINA: HISTÓRIA
ANO: 9º

OBJETIVOS:

  • Incentivar o uso de recursos tecnológicos – Laptops;
  • Conhecer aspectos da História do Acre na participação da Segunda Guerra Mundial;
  • Favorecer a integração do grupo, através da troca de informações;

DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE

1º momento: Uso do Laptop para pesquisa e análise de textos relacionados à temática;

2º momento: Utilizar o recurso K Presenter para criação de slide com textos e imagens que caracterizem este momento da História;

3º momento: Navegar pelo e-mail para discussões orientadas, onde os mesmos socializaram a lista do endereço eletrônico;

4º momento: Após socializarem o endereço eletrônico, os mesmos podem escolher alguns colegas para interagir com a atividade, fazendo comentários a respeito da atividade proposta;

5º momento: Em seguida, enviar o trabalho para o endereço eletrônico historiacre@gmail.com  , que será analisado pela professora.

AVALIAÇÃO:

A avaliação será feita através da Observação. O acompanhamento e o desenvolvimento dos educandos no trabalho em grupo;

VEJA AS FOTOS: